Brasil UFRGS PROREXT OUVIDORIA   

      

 Planetário Professor José Baptista Pereira

PROREXT UFRGS

Porto Alegre

 

Home Visitas   Domingos  Agendamento   Projeto Selene    Passeio Virtual   Programas     História      Links

 

 

Vênus e Júpiter em conjunção – 27 de agosto de 2016 – foto GKR

Atrações Celestes 2017

Os horários pressupõem o observador situado 
na região metropolitana de Porto Alegre e, geralmente, 
relacionados ao dia 15 do mês
.


JANEIRO:

O planeta Vênus continua roubando a atenção no céu poente no final de tarde e início da noite, durante todo o mês. O avermelhado Marte também está na mesma área, mas apresenta-se pouco brilhante, situado mais alto do que Vênus. No início e fim do mês, a Lua crescente junta-se a esta dupla de planetas, contribuindo para o embelezamento do cenário celeste.

No dia 1°, no poente, a Lua crescente, 13% iluminada, situa-se abaixo de Vênus (magnitude -4,5). Eles podem ser buscados antes da noite chegar, a partir das 21h15min. À direita, um pouco acima de Vênus, acha-se Marte (magnitude +1), no momento apresenta-se pouco notável.

No dia 2, a Lua crescente, 21% iluminada, situa-se entre Vênus e Marte.

No dia 3, a Lua crescente, 30% iluminada, está acima e à direita de Vênus.

No dia 9, a Lua crescente, 91% iluminada, acha-se relativamente próxima de Aldebarã (magnitude +0,85), a estrela alfa da constelação de Touro.

Na noite do dia 14, em Porto Alegre, a partir das 22h10min, na direção leste, haverá uma estrela relativamente brilhante nas imediações da Lua (92% iluminada). Ela é Regulus a alfa de Leão, visível a olho nu. Poucas horas depois, na madrugada do dia 15, haverá uma bela ocultação de Regulus pela Lua!  

No início do dia 15, por volta das 0h53min, em Porto Alegre, Regulus sumirá no limbo claro da Lua! Alguns minutos antes, o luar ofusca a visão da estrela, principalmente sem a ajuda de aparelhos ópticos. Sugere-se o emprego de telescópio ou binóculo para acompanhar os instantes que antecedem a ocultação. Regulus ficará atrás do globo lunar por cerca de 1h17min aproximadamente. Então, por volta das 2h10min, em Porto Alegre, Regulus, reaparecerá no limbo escuro da Lua. Os horários do evento dependem da localização geográfica do observador. A ocultação poderá ser apreciada em toda a metade sul da América do Sul e também na Península Antártica.  

No dia 19, no céu da madrugada, há uma interessante conjunção entre Lua, Júpiter e a estrela Spica. A Lua minguante, 57% iluminada, acha-se relativamente próxima do brilhante Júpiter (magnitude -2). Este, por sua vez, situa-se nas cercanias da estrela Spica (magnitude +1), a alfa de Virgem, que é sensivelmente menos brilhante do que ele. Por volta das 1h00min, eles surgem no horizonte à Su –Sudeste (SSE). Nesse instante a Lua, Júpiter e Spica estão, praticamente, alinhados. Podem ser vistos até o amanhecer, mas nesse instante suas posições relativas estarão alteradas ligeiramente. 

No dia 24, no céu da madrugada, a Lua minguante (13% iluminada) encontra-se nas cercanias de Saturno (magnitude +0,5). Eles são visíveis a partir das 4h00, quando surgem à Su Sudeste (SSE), na constelação de Ofiúco.

No dia 25, antes do alvorecer, a Lua minguante (7% iluminada) acha-se posicionada entre Saturno e o planeta Mercúrio (magnitude +0,7). Os três astros podem ser vistos das 5h30min em diante, quando surgem à Su-Sudeste (SSE).

No dia 26, pouco antes do alvorecer, a Lua minguante, apenas 3% iluminada, finíssima, está abaixo de Mercúrio, nas imediações do horizonte. Os astros estão na área do céu que corresponde a constelação de Sagitário. Ambos são visíveis a partir das 5h40min, quando surgem no horizonte à Su-Sudeste (SSE). São visíveis até por volta das 6h10min ao clarear da aurora.

No dia 29, a Lua crescente, muito fina, apenas 3% iluminada, situa-se nas imediações do horizonte, à Oeste, no final de tarde. É necessário horizonte livre de obstáculos e céu bem limpo para vê-la. A observação pode iniciar às 20h50min, quando o céu ainda se encontra relativamente claro. Embora visível a olho nu, a utilização de binóculos, preferencialmente dotado de boa qualidade óptica, revelará detalhes das grandes crateras e dos chamados mares lunares. Vênus encontra-se acima da Lua, enquanto Marte está acima e ligeiramente à direita de Vênus. Em ocasiões como essa, quando apenas uma pequena fração lunar encontra-se iluminada, pode-se ver, também, uma parte escura, ao lado da parte clara, que completa o disco lunar. É conhecida por lua cinzenta, luz cinérea ou cinzenta. Essa parte não é completamente negra porque a Terra também ilumina a Lua. Ou seja, parte da luz solar que chega na Terra é refletida para o espaço, o que acaba iluminando, ligeiramente, o satélite natural do nosso planeta.       

Nos dias 30 e 31, a Lua crescente retorna às imediações de Vênus (magnitude -4,5) e de Marte (magnitude +1,1), eles são visíveis no final de tarde e início da noite, no céu poente. 

No dia 30, a Lua crescente (9% iluminada) está próxima de Vênus e de Marte. O planeta vermelho se encontra um pouco acima e à direita de Vênus. Esses astros podem ser contemplados das 20h55min até ocaso dos mesmos, pouco depois das 22h.

No dia 31, uma bela conjunção da Lua crescente (17% iluminada), Vênus e Marte. Este último apresenta-se relativamente pouco brilhante, mas é visível a olho nu, situando-se à direita de Vênus. Eles formam um triângulo imaginário no céu, que podem ser vistos das 21h às 22h20min, por exemplo, quem encontra-se no sul do Brasil. 

Principais Fases da Lua – Os horários que constam aqui são relacionados à Hora Legal Brasileira (Hora Universal – 3h). Dia 5, às 16h47min, Lua quarto crescente; dia 12, às 8h34min, Lua Cheia; dia 19, às 19h14min, Lua quarto minguante; dia 27, às 21h07min, Lua nova.


FEVEREIRO:

Neste mês, dois eclipses, um do Sol e um da Lua, poderão ser vistos no Brasil. O primeiro, no dia 10, é um discreto eclipse penumbral da Lua; no dia 26, é um eclipse do Sol, visível como parcial no país. No dia 19, termina a Hora de Verão. Os relógios devem ser atrasados 1h.

Ao anoitecer, no céu poente, o notável Vênus e o discreto e avermelhado Marte continuam no céu poente. São visíveis no final de tarde e início da noite, mas ao escurecer estão situados mais próximos do horizonte em relação ao mês anterior. O esverdeado planeta Urano apresenta-se também na mesma região do céu. A maioria das pessoas nunca viu Urano, porque é pouco brilhante, praticamente invisível a olho nu. Mas quase no final deste mês, há uma boa oportunidade para vê-lo, porque o planeta encontra-se nas imediações de Marte! Mas para vê-lo será necessário o emprego de binóculos ou de telescópio. Ao binóculo seu aspecto será como de um ponto de luz de aspecto esverdeado; ao telescópio, dependendo do aumento fornecido pelo conjunto óptico, terá um aspecto de um disco, que lembra o aspecto usual dos planetas. 

Antes da meia-noite, na direção leste, o brilhante planeta Júpiter (magnitude -2,3) surge a leste por volta das 23h (Hora de Verão) ou 22h (Hora Legal Brasileira). Perto dele, está a estrela Spica (magnitude +1), a alfa de Virgem, sensivelmente menos brilhante do que ele; como visto da Terra, todos estão em Sagitário. 

Antes de amanhecer, a leste, são visíveis a olho nu Saturno e Mercúrio.  Saturno (magnitude +1) nasce às 3h ou 2h (Hora Legal Brasileira), na constelação de Ofiúco. O planeta dos anéis, é ligeiramente amarelo à vista desarmada. Mercúrio (magnitude +0,5) é visível até o dia 22, aproximadamente, mas na primeira semana as luzes do alvorecer ofuscam menos a visão do planeta, podendo-se observá-lo por mais tempo. Na segunda semana deste período o binóculo facilita sua localização. No início do mês pode-se ver Mercúrio a partir das 5h30min, situado na direção leste. Já de meados do mês em diante, ele pode ser visto a partir das 6h ou 5h (Hora Legal Brasileira). Projeta-se neste mês sobre as constelações Sagitário, Capricórnio e, por último, em Aquário. 

No dia 1º, a partir das 21h, aproximadamente, Vênus (magnitude -4,6), Marte (magnitude +1,1) e a Lua crescente (26% iluminada) estão praticamente alinhados, situados quase equidistantes entre si, todos em Peixes.

No dia 5, ao anoitecer, na direção norte, a Lua crescente (70% iluminada), acha-se perto de Aldebarã, a alfa de Touro.

No dia 10, há eclipse penumbral da Lua, visível na América do Sul, América Central e América do Norte, Europa, África e oeste da Ásia. No eclipse lunar a Terra se interpõe entre o Sol e a Lua. Como a Terra é iluminada pelo Sol, nosso planeta projeta uma área de penumbra e de umbra (sombra) no espaço. Durante o eclipse lunar essas áreas projetam-se sobre a Lua, obscurecendo-a. Mas no eclipse do dia 10 e 11, apenas a penumbra da Terra interceptará a Lua, não haverá, por assim dizer, um perfeito alinhamento entre o Sol, a Terra e a Lua. No eclipse penumbral, apenas o brilho habitual da Lua, na fase cheia, é reduzido ligeiramente. Eclipses da Lua são sempre na fase cheia. Este evento é tão discreto que muitas pessoas não percebem a queda do brilho lunar. O eclipse será mais notado cerca de 30 minutos antes e depois do máximo do eclipse, que ocorre às 22h44min. Próximo desta hora espera-se que a intensidade do luar seja um pouco mais reduzida, pois a Lua aproxima-se da área da umbra (sombra) terrestre, mais escura, o que pode também colorir ligeiramente uma parte da superfície lunar para quem vê o fenômeno através de telescópio ou binóculo. O registro fotográfico é relativamente fácil. É um evento acessível a todos, praticamente. O eclipse penumbral será visível em todo o país; seu início, pelo Horário de Verão, é às 20h34min, o máximo é às 22h44min e o término às 00h53min do dia 11. Ainda no dia 10 e no dia 11, ao anoitecer, a Lua cheia encontra-se relativamente próxima de Regulus, a alfa de Leão. 

Nos dias 15 e 16, a Lua minguante, 70% iluminada, está relativamente próxima do notável Júpiter e da estrela Spica, a alfa de Virgem, visíveis após às 23h aproximadamente.

No dia 21, a Lua minguante (27% iluminada), encontra-se relativamente próxima de Saturno, o planeta dos anéis brilhantes. Eles são visíveis após às 2h (Hora Legal Brasileira), na direção leste nesta hora.

No dia 26, ocorre o eclipse anular do Sol. O eclipse anular é visível como tal no sul do Chile e da Argentina, Atlântico Sul, Angola, Zâmbia e República Democrática do Congo. O eclipse será parcial na América do Sul, Antártica e África. Neste tipo de evento o satélite natural da Terra se interpõe entre o Sol e a Terra. Os eclipses do Sol sempre ocorrem na Lua nova. O eclipse anular é um tipo especial de eclipse, pois o Sol não some completamente; persiste um fino anel de luz ao redor de toda a borda solar, pois a Lua não encobrirá completamente o Sol. Visto da Terra, o tamanho aparente da Lua, na data do evento, será menor do que o do astro-rei. Os horários do eclipse parcial no país variam conforme o local da observação, o percentual do disco solar obscurecido também é diferente conforme a cidade. Nos estados mais ao norte do país esta efeméride não poderá ver vista, como no Acre, Amazonas, Roraima e Amapá. No Rio Grande do Sul o obscurecimento será o maior do país. No extremo sul do estado, na área de Chuí, é onde haverá o maior obscurecimento no estado. Em Porto Alegre, o eclipse inicia às 9h44min, o máximo é às 11h11min, instante em que cerca de 56% do disco solar será obscurecido pela Lua. O término do eclipse na cidade é às 12h44min. Atenção: Eclipses do Sol requerem proteção especial para os olhos para a observação direta, que reduzam os raios infravermelhos e ultravioletas provenientes do Sol, os quais produzem danos permanentes à visão. Se a proteção não for adequada, quanto maior a exposição, maior é o dano. Lentes de telescópios, binóculos, filmadoras e de máquinas fotográficas requerem filtros especiais de proteção, próprios para esse fim. Mas no mercado nacional não é comum encontrar-se esses filtros. Para a observação a olho nu com segurança, uma opção barata e segura, é utilizar a chamada lente para máscara de soldador, de tonalidade 14, a mais escura delas, que fornece uma coloração esverdeada ao Sol. Lentes de menor tonalidade não devem ser utilizadas. Seu tamanho é de 11cm x 5cm, é plana e não proporciona aumento. Encontra-se a venda por cerca de R$ 1,50 em lojas especializadas ou em ferragens. As crianças necessitam uma atenção especial dos responsáveis por elas, mantenham-nas próximas. Segue um link, em espanhol, que fornece informações adicionais sobre o eclipse anular do dia 26 e formas seguras de observar o eclipse com segurança, em <http://sion.frm.utn.edu.ar/WDEAII/wp-content/uploads/2017/01/Eclipse-Anular-de-Sol-Chubut-2017_Doc-Did%C3%A1ctico-gral-Plaza-Cielo.pdf>.

No dia 27, no fim de tarde, a partir das 19h15min, no Rio Grande do Sul, o fulgurante Vênus e o discreto e avermelhado Marte estão nas imediações do horizonte oeste. Restará pouco tempo para observá-los, pois se põem logo depois. Ligeiramente à esquerda de Marte, cerca de um grau de distância angular, o equivalente a duas luas cheia, acha-se o esverdeado planeta Urano, que não é visível a olho nu nestas circunstâncias. Urano (magnitude +5,9) é o astro mais brilhante nas imediações de Marte nesta data. Para vê-lo, é necessário o emprego de telescópio ou de binóculos. 

No dia 28, no poente, a partir das 19h15min, uma fina Lua crescente, apenas 6% iluminada, encontra-se nas cercanias de Vênus e de Marte. Eles formam um triângulo imaginário no céu. A observação pode iniciar às 19h15min; esses astros se põem logo depois. Neste dia, Urano está um pouco mais afastado de Marte. 

Principais Fases da Lua – os Horários a seguir correspondem a Hora Legal Brasileira (Hora Universal – 3h). Dia 4, Lua Quarto Crescente, às 1h19min. Dia 10, Lua Cheia, às 21h33min. Dia 18, Lua Quarto Minguante, às 16h33min. Dia 26, Lua Nova, às 11h58min.

 


MARÇO:

No início deste mês, ao escurecer, na direção do poente, a Lua crescente e o planeta Vênus são os destaques. Os planetas Marte e Urano também estão na mesma área, o primeiro é discreto a olho nu, o segundo só pode ser visto com a utilização de binóculos ou de telescópios. Nos dias 29 e 30, a Lua crescente retorna ao céu poente nos finais de tarde, mas o notável Vênus não lhe faz mais companhia, pois está nas cercanias do astro-rei. Mercúrio não é visível este mês, acha-se nas imediações do Sol, que o ofusca. 
Importante destacar que observações de astros próximos do horizonte requer céu bem limpo e com pouca ou nenhuma obstrução na direção dos mesmos, o que não é fácil para quem os observa dentro de cidades. Luzes que incidem diretamente nos olhos também atrapalham demais.  
Os horários referidos para início e fim das observações referem-se à cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul (Lon. 51º 14´ W, Lat. 30º 02´S). Para observadores situados a leste da cidade, principalmente em outros estados, as observações devem ser antecipadas. Já quem situa-se a oeste da capital gaúcha, as observações devem ser postergadas. O céu, como visto nos estados brasileiros próximos ao Equador, ou seja, no norte do país, se apresenta razoavelmente diferente em relação ao sul do país. Pode-se utilizar o software gratuito Stellarium http://www.stelarium.org para pesquisar o céu de diferentes cidades. Se a cidade pretendida ainda não estiver no banco de dados do programa, será necessário introduzir as coordenadas geográficas da mesma.   Planetas Visíveis no Mês:
O notável planeta Vênus (magnitude -2,4), em Peixes, é visível ao anoitecer nos primeiros dias deste período, na direção oés noroeste (ONO). Mas como se situa nas imediações do horizonte, é observável apenas por um breve período de tempo. Por encontrar-se nas cercanias do horizonte, sua luz é mais acentuadamente atenuada pela atmosfera terrestre, a chamada extinção atmosférica.
O avermelhado Marte (magnitude +1,3), em Peixes/Áries, encontra-se no poente ao anoitecer, na direção oés noroeste (ONO). Pode ser visto das 19h45min às 20h30min, aproximadamente, pois acha-se um pouco mais elevado no céu.  
O brilhante Júpiter (magnitude -2,4), em Virgem, surge às 21 horas, na direção leste.   
O amarelado Saturno (magnitude +0,46), situado na constelação de Ofiúco, depois em Sagitário, torna-se observável a partir das 1h, aproximadamente, neste instante na direção es sudeste (ESE).
Eventos Mais Notáveis:
No dia 1º, a Lua crescente, 13% iluminada, está no céu poente, no céu do final de tarde. Encontra-se relativamente próxima de Marte, cerca de 3 graus. O notável Vênus (magnitude -4,6) está nas cercanias do horizonte, à oeste, somente antes da noite chegar. Pode-se vê-los a partir 19h30min, Hora Legal Brasileira. O avermelhado Marte, continua discreto, apresenta-se à direita e abaixo da Lua, para quem olha para o poente. O planeta Urano, que não é visível a olho nu, também está no céu poente e nas cercanias de Marte. Ele se situa abaixo da Lua, ou seja, na direção do horizonte, mais exatamente, ligeiramente abaixo e à esquerda de Marte. Esses astros poder ser vistos a partir da 19h50min e por breve período de tempo.  
No dia 4, a Lua crescente, 44% iluminada, acha-se na direção das estrelas que compõem as Híades, um dos aglomerados abertos de estrelas da constelação de Touro, que tem a forma de um vê, invertido.  Junto as Híades está a avermelhada Aldebarã, a alfa desta constelação, que não pertence ao aglomerado, está apenas na direção dele, como visto da Terra. São visíveis das 19h45min às 23h.
No dia 10, a Lua quase cheia, 97% iluminada, está a uma pequena distância angular de Regulus, a estrela alfa de Leão, principalmente no início da noite. Como o luar será intenso, isso deve dificultar um pouco a visão desta estrela a olho nu, o emprego de binóculos ou de telescópio é sugerido aqui. Na madrugada, esses astros estarão mais separados entre si.
No dia 14, a Lua 94% iluminada, agora minguando, acha-se nas imediações do brilhante Júpiter (magnitude -2,4).  Nas cercanias dos mesmos também se situa a estrela Spica, a alfa de Virgem, todos são visíveis das 20h30min em diante.
No dia 19, a Lua minguante, 53% iluminada, está nas cercanias do planeta Saturno (magnitude +0,46), um alvo relativamente fácil a olho nu, na constelação de Ofiúco. Eles estão na direção leste às 23h45min, podendo-se observá-los até às 5h45min, quando estarão quase se pondo.
No dia 26, a Lua minguante, 4% iluminada, surge à leste às 5h55min, em Porto Alegre ao iniciar da aurora, visível na direção leste.
No dia 29, uma finíssima Lua crescente, 4% iluminada, acha-se no poente a partir das 19h15min, aproximadamente.
No dia 30, a Lua crescente está 11% iluminada, ela pode ser vista a partir das 19h00. Neste dia, o avermelhado Marte (magnitude +1,5) encontra-se um pouco abaixo da Lua, cerca de 6 graus.
Principais Fases da Lua – Os horários aqui referidos correspondem a Hora Legal Brasileira (Hora Universal – 3h). Lua Quarto Crescente, dia 5, às 8h32min; Lua Cheia, dia 12, às 11h54min; Lua Quarto Minguante, dia 20, às 12h58min. Lua Nova, dia 27, às 23h57min.    


ABRIL:

Visibilidade dos Planetas

 

O discreto Marte (magnitude 1,5), em Touro, situa-se no céu poente, nas imediações do horizonte, no fim das luzes crepusculares. Por isso, só pode ser observado por pouco tempo. De 14 a 19, encontra-se na cercania das Plêiades, belo aglomerado aberto, que reúne estrelas bem juntas, visíveis a olho nu. O emprego de binóculos torna mais atraente esse conjunto de astros. Do dia 20 em diante, o planeta vermelho está mais próximo de outro aglomerado aberto de estrelas, as Híades, que lembra um vê, invertido. Esta formação de estrelas inspirou antigas civilizações, do hemisfério norte, imaginarem na referida área a cabeça de um touro, como visto quase de frente.  A relativamente brilhante Aldebarã, a alfa da constelação, junto a esse aglomerado, representa um dos olhos do animal.

O brilhante Júpiter (magnitude -2,5), em Virgem, é um dos destaques do mês. Ele é visível à Leste, ao anoitecer. No início deste período, no início da noite, o planeta encontra-se ainda bem próximo do horizonte. Semanas depois, no mesmo instante do dia, situa-se mais elevado no céu. Seu intenso brilho e sua proximidade com a estrela Spica (Virgem) despertam a atenção. No dia 10, a Lua cheia acha-se a uma pequena distância angular desse planeta, eles são visíveis das 18h30min em diante. Nessa hora, acham-se próximos do horizonte Leste, imersos nas luzes do crepúsculo.   

Saturno (magnitude +0,3), em Ofiúco/Sagitário, encontra-se a Leste no começo do mês, surgindo após às 23h. De meados do mês em diante, nasce um pouco mais cedo. No dia 17, a Lua minguante, 70% iluminada, situa-se perto deste planeta, que apresenta coloração ligeiramente amarela. Eles são visíveis das 2h30min em diante. 

O notável Vênus está no céu do amanhecer, situado à Leste. É mais fácil vê-lo após o dia 5.  De meados do mês em diante pode ser buscado às 5h30min, pouco antes do surgimento da aurora. Nos dias 23 e 24, a Lua minguante, respectivamente 13% e 6% iluminada, acha-se nas imediações do planeta, que podem ser observados das 4h45min às 6h30min, ao iniciar da aurora. 

Mercúrio, o menor planeta do Sistema Solar, e o mais próximo do Sol, não é facilmente visível este mês, pois está ofuscado pela intensa luz do astro-rei ou do crepúsculo.

 

Conjunção da Lua com estrelas

No dia 28, ocorre uma bela conjunção entre a Lua crescente, 8% iluminada, e Aldebarã, a alfa de Touro, que se situa junto ao aglomerado aberto de estrelas conhecido por Híades, em Touro.    

 

Principais Fases da Lua

Os horários correspondem a Hora Legal Brasileira (Hora Universal – 3h). Lua quarto crescente, dia 3, às 15h39min, Lua cheia, dia 11, às 03h08min, Lua quarto minguante, 19 de abril, às 6h57min, Lua nova, dia 26, às 9h16min.

 


voltar

 

 

 

Planetário Professor José Baptista Pereira – PROREXT – UFRGS
Av. Ipiranga, 2000 — CEP 90160-091 — Porto Alegre, RS — Brasil
fone:(51)3308-5384 — fax:(51)3308-5387
planetario@ufrgs.br